Mostrando postagens com marcador brócolis; sulforafano. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador brócolis; sulforafano. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 29 de abril de 2011

Componente do brócolis pode ajudar pessoas com doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC)

Cientistas americanos descobriram que o sulforafano, composto encontrado nos brotos de brócolis, poderia ajudar a eliminar a bactérias que afetam os pulmões, segundo um estudo publicado na revista americana "Science Translational".

O sulforafano está presente nas verduras da família da couve e se apresenta como um possível tratamento para prevenir ou reduzir as infecções que frequentemente afetam os fumantes e os pacientes com doenças pulmonares.

Um pulmão saudável se encarrega por si mesmo de expulsar as pequenas partículas de pó, os resíduos e as bactérias estranhas que entram através do aparelho respiratório junto com o oxigênio que respiramos. No entanto, este sistema de "autolimpeza" é disfuncional nos fumantes, e as pessoas com um tipo de doença chamada enfermidade pulmonar obstrutiva crônica (Epoc) ou Doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), uma grave patologia respiratória.

As duas formas mais frequentes da doença são a bronquite crônica, definida por uma tosse prolongada com muco, e o enfisema, que ajuda a deterioração dos pulmões a longo prazo. O Epoc, que afeta 24 milhões de americanos e 210 milhões de pessoas no mundo todo, é a terceira causa de morte nos Estados Unidos. O médico Shyam Biswal, do Departamento de Ciências da Saúde Ambiental da Escola Bloomberg de Saúde Pública da Universidade Johns Hopkins analisaram os macrófagos (células do sistema imunológico) dos pulmões de pacientes com a enfermidade, assim como os de ratos expostos à fumaça do cigarro.

Os pesquisadores concluíram que o tratamento com sulforafano estimula a ativação da via de sinalização celular Nrf2 tanto nas células humanas dos pulmões com Epoc quanto as dos pulmões dos ratos expostos à fumaça. A ativação da via Nrf2 restaura a capacidade dos macrófagos pulmonares para eliminar as bactérias dos pulmões, com o que uma dieta rica em sulforafano poderia ajudar aos doentes a melhorarem.

"Nossas descobertas sugerem que os macrófagos dos pulmões dos pacientes com a enfermidade têm uma falha no processo chamado fagocitose, que consiste na destruição de bactérias ou agentes nocivos para o organismo", disse Biswal.

Os pesquisadores descobriram que, ainda segundo o médico, "a ativação da via Nrf2 induzida pelo sulforafano restaurou a capacidade dos macrófagos pulmonares para se unir e combater as bactérias".

"O estudo poderá ajudar a explicar a relação entre a dieta e a doença pulmonar, e aumenta o potencial de novos enfoques para o tratamento da doença frequentemente devastadora", afirmou Robert Wise, professor de Medicina da Escola de Medicina de Johns Hopkins e co-autor da pesquisa.

Fonte: http://www.hebron.com.br/

terça-feira, 8 de março de 2011

Os alimentos funcionais e seus benefícios

Soja
A soja pode atuar na prevenção de doenças cardiovasculares, câncer, osteoporose e no alívio dos sintomas da menopausa. Alguns de seus componentes são responsáveis pela redução de colesterol em humanos.

Isso é relevante já que, de acordo com estudos, cada 1% de redução nos valores de colesterol está associado com cerca de 2-3% de redução do risco de doenças cardiovasculares. E diferentes análises observam também que o consumo diário de 20-50g de proteína de soja isolada pode resultar em uma redução de 20-30% do risco de doença coronariana.

Estudiosos já indicaram que o consumo da soja pode reduzir a freqüência e intensidade dos sintomas da menopausa. Por exemplo, 60 gramas de isolado protéico de soja/dia, durante três meses, pode reduzir as ondas de calor em 45% em mulheres com menopausa.

OBS: Não sou a favor do consumo de soja da forma que consome atualmente no ocidente. Sou a favor do uso das formas fermentadas da soja, ou seja, Tofu, Shoyo e Tempeh. Para ler mais sobre a Polêmica da soja: http://www.ecologiamedica.net/2010/12/soja-polemica-continua.html

Repolho, couve-flor e brocólis

O consumo de vegetais crucíferos como repolho, couve-flor, brócolis e couve de bruxelas tem sido associado com a redução do risco de câncer. Estudos administrando o equivalente a 350-500g de repolho/dia em mulheres por 1 semana provam que um componente das crucíferas pode ser um novo caminho para reduzir a probabilidade de câncer de mama.

Tomate

Os carotenóides são poderosos antioxidantes que agem na neutralização de radicais livres, além de estimularem a função do sistema imunológico. Um dos carotenóides, o licopeno, tem uma atividade antioxidante dez vezes maior que os outros. Portanto, é hoje o mais promissor para a nutrição e saúde humana. O licopeno é encontrado principalmente em tomates e produtos derivados.

Alho

O bulbo de alho intacto contém um aminoácido inodoro que é convertido pela ação de enzima em alicina. Essa conversão ocorre quando o alho é esmagado ou triturado.

A alicina é o elemento responsável pelo odor característico do alho e, ao se decompor (um processo espontâneo), ela forma numerosos compostos sulfurados. Alguns desses compostos têm sido investigados por exercerem atividades anticancerígenas e antiaterogênicas.

Os benefícios do alho à saúde são numerosos, incluindo prevenção de câncer, anti-hipertensivo e anti-colesterolêmico. Seus componentes têm se mostrado inibidores de tumores em muitos modelos experimentais e humanos.

Frutas cítricas

As frutas cítricas, tais como laranjas, limas, limões e toronjas (tangerina), entre outras, são fontes importantes de vitamina C, folato e fibras. Recentemente, um de seus compostos (os limonóides) tem atraído a atenção dos pesquisadores, devido às evidências que se têm acumulado suportando o efeito preventivo desse elemento contra o câncer. O limoneno pode ser eficaz contra uma variedade de tumores espontâneos ou induzidos quimicamente.

Cereais

Os cereais podem exercer vários efeitos benéficos à saúde do homem. Dentre eles, a redução do colesterol e do risco de câncer, particularmente aqueles do trato alimentar, como o coloretal e o gástrico. Uma grande quantidade de componentes anticarcinogênicos são encontrados nos grãos, entre eles, as fibras. A aveia talvez seja um dos cereais mais estudados. Sabe-se hoje que ela é fonte de um tipo de fibra responsável pela redução de colesterol, observada em vários estudos científicos.

Uvas e Vinho

As cascas de uvas vermelho-roxas escuras são ricas em determinados tipos de compostos que apresentam a capacidade de prevenir a oxidação da LDL-colesterol, podendo, dessa forma, reduzir o risco das doenças cardiovasculares. Além das uvas, o vinho tinto apresenta também um alto conteúdo desses compostos, cerca de 20-50 vezes maior do que o vinho branco. Além disso, trabalhos recentes mostram que o vinho tinto é também uma fonte significante de resveratrol, elemento encontrado na casca de uvas e que tem propriedades antiaterogênicas e de inibir a carginogênese.

Chá verde

Dos efeitos benéficos à saúde mais pesquisados no chá, a prevenção do câncer é o principal. Estudiosos encontraram que o consumo de 5 ou mais copos de chá verde/dia foi associado com a redução de estágios do câncer de mama.

Peixes e óleos de peixe

Os peixes são fontes de ácidos graxos. Compostos que podem auxiliar no tratamento da hipertensão, doença cardiovascular, aterosclerose e desordens inflamatórias e autoimunes. O consumo de óleo de peixe pode também proteger contra o câncer, incluindo o de mama, cólon, pele, pâncreas, próstata, pulmão e laringe.

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Pesquisa conclui que o consumo de brócolis combate inflamações respiratórias

Pesquisadores da University of California – Los Angeles, UCLA, relatam que um composto naturalmente encontrado em crucíferos, como brócolis e outros vegetais, pode ajudar a proteger contra inflamações respiratórias, que provocam asma, rinite alérgica e doença pulmonar obstrutiva crônica.

Publicada na edição de março da revista Clinical Immunology, a pesquisa mostra que sulforaphane, um produto químico no brócolis, desencadeia um aumento de enzimas antioxidantes nas vias respiratórias humanas, oferecendo proteção contra o ataque dos radicais livres que respiramos diariamente com o ar poluído , pólen, escape de diesel e fumo do tabaco.

“Este é um dos primeiros estudos mostrando que brócolis, amplamente disponível como fonte alimentar , ofereceu potentes efeitos biológicos para estimular uma resposta antioxidante em seres humanos”, disse o Dr. Marc Riedl, pesquisador líder do estudo e professor assistente de Imunologia Clínica e Alergia na David Geffen School of Medicine, da UCLA.

“Encontramos de duas a três vezes mais enzimas antioxidantes nas celular da via aérea nasal nos participantes do estudo, que tinham comido uma preparação de brócolis”, diz Riedl. “Essa estratégia pode oferecer proteção contra processos inflamatórios e poderia conduzir a potenciais tratamentos para uma variedade de condições respiratórias.”

A equipe trabalhou com 65 voluntários, que foram dadas diferentes doses orais de alfafa ou brócolis. Brócolis é a mais rica fonte natural de sulforaphane e a alfafa, que não contêm o composto, serviu como um placebo.

Lavagens de fossas nasais foram coletadas no início e no final do estudo para avaliar a expressão gênica de enzimas antioxidantes em células das vias aéreas superiores. Os investigadores encontraram um aumento significativo das enzimas antioxidantes nos que consumiram brócolis, em doses de 100 gramas ou mais, em comparação com o grupo placebo.

A dose máxima de 200 gramas gerou um aumento de 101% de uma enzima antioxidante chamada GSTP1 e um aumento de 199% outra enzima chamada NQO1.

“Uma grande vantagem do sulforaphane é que ele parece aumentar uma ampla gama de enzimas antioxidantes, compostos que podem ajudar a sua eficácia em bloquear os efeitos nocivos da poluição do ar”, disse Riedl.

Segundo os autores, não foram identificados efeitos colaterais graves nos participantes do estudo, demonstrando que esta pode ser uma forma eficaz, segura de estratégia de estimula antioxidante, para ajudar a reduzir o impacto inflamatórias dos radicais livres.

O estudo não permite identificar uma posologia específica mas, ainda assim, os pesquisadores destacam a recomendação do consumo diário de crucíferos, incluindo brócolis e outros vegetais, como parte de uma dieta saudável.

O estudo foi financiado pelo National Institutes of Health, pelo National Institute of Environmental Health Sciences e pela U.S. Environmental Protection Agency (EPA).

O artigo “Oral sulforaphane increases Phase II antioxidant enzymes in the human upper airway“, publicado na revista Clinical Immunology, Volume 130, Issue 3, March 2009, Pages 244-251, apenas está disponível para assinantes.

Fonte: http://www.ecodebate.com.br/2009/03/05/pesquisa-conclui-que-o-consumo-de-brocolis-combate-inflamacoes-respiratorias/

Obs: Para ler mais sobre Antioxidantes no blog, veja o post: http://www.ecologiamedica.net/2010/11/antioxidantes.html