segunda-feira, 25 de julho de 2011

Comer de 3 em 3 horas, saiba por que isso é Importante...




Um dos hábitos mais comuns e mais errados que as pessoas cometem é se alimentar poucas vezes ao dia. A cada 10 pessoas que atendo pelo menos 6 não fazem mais de 3 refeições ao dia e acham que se aumentarem o número de refeições irão “engordar”. Aí, é preciso explicar sob o olhar desconfiado do paciente que mesmo ouvindo na TV, lendo na internet e em revistas que é importante o fracionamento das refeições não acredita. E você? Sabe porque isso é importante para o nosso organismo? Não? Então vem que eu te explico...

Comer a cada três horas é importante para combater a compulsão, pois quando fracionamos nossas refeições tendemos a comer menos ou comer o necessário. Se você acorda e não toma café da manhã, provavelmente vai chegar na hora do almoço morrendo de fome e vai comer além do que precisa, alimentos não muito saudáveis e ainda finaliza com aquela sobremesa. Falei alguma besteira? Aposto que não.

Apesar de muita gente não saber (e não fazer), a refeição mais importante do dia é o café da manhã, que por ser a primeira refeição diária vai nos ajudar a suprir as necessidades e calorias gastas durante o sono. E esta refeição deve conter um bom carboidrato integral, uma proteína magra e frutas. O café da manhã vai te dar mais disposição para encarar suas tarefas diárias, melhorar a concentração de quem estuda, dar mais energia e pique se você pratica alguma atividade física e melhorar seu rendimento no trabalho.

E porque fracionar as refeições emagrece? Quando nos alimentamos com freqüência nosso organismo não sente necessidade de fazer reservas de energia, estas reservas são aquelas gordurinhas indesejadas, ele simplesmente usa o que precisa e o restante é eliminado ou utilizado como fonte de energia pelo corpo. Quando passamos muito tempo sem comer, o cérebro entende que há uma ameaça de privação alimentar e envia mensagem para que parte do que for consumido seja "guardado" por precaução, e é quando você começa a ganhar peso mesmo comendo poucas vezes ao dia.

Mas de nada adianta comer várias vezes e comer muito! O ideal é fazer pelo menos seis refeições diárias equilibradas e balanceadas. Cuidado para não exagerar, não vale comer coxinha ou sorvete de chocolate nos lanches, nem trocar o almoço por sanduíches com batata frita e refrigerante.

O equilíbrio é fundamental para tudo o que fazer na vida e com a alimentação não é diferente. A palavra de ordem é controlar o consumo de excessivo de carboidratos (pães,doces) brancos dando preferências ao integrais, colocar frutas nos intervalos das refeições, consumir carnes magras, evitar frituras, consumir muitos legumes e verduras e beber muita, mas muita água. Se você tem dificuldade em organizar sua alimentação procure um Nutricionista que irá prescrever um cardápio adequado ao seu dia-a-dia.

Desta forma você garante os nutrientes que seu corpo necessita, consegue eliminar os quilinhos extras e melhora sua qualidade de vida!


Café: benefícios e riscos para a saúde



Como podem perceber, gosto MUITO de falar sobre o café e seus efeitos (positivos e negativos) para nossa saúde. Nas minhas consultas, posso afirmar que 9 entre 10 pacientes tomam café. Puro ou com leite, ou ainda na versão descafeínado, muito raramente me deparo com a afirmativa: “Não tomo café” ou “o café me faz mal”. Vamos combinar: como é bom saborear um delicioso café, fresquinho, saindo na hora. Pela manhã, nos desperta para os afazeres do dia. Quem também precisa de uma ajuda extra para estudar ou trabalhar à noite, recorre para essa bebida tão tradicional e saborosa, que nos atrai pelo cheiro...

O café é uma bebida classificada como estimulante, por possuir em seus componentes a cafeína que atua principalmente no Sistema Nervoso Central, responsável por nos deixar mais dispostos, em alerta e com mais vigor. Mas o excesso de cafeína no nosso organismo pode nos levar a eventos muito além do que esperamos.

Lembrando que o café é a bebida mais consumida no Brasil e no mundo ocidental, fazendo com que seja alvo de diversos estudos em relação aos seus efeitos em nosso organismo. Por esse motivo, já está mais do que comprovado que sua utilização associado a hábitos alimentares saudáveis, pode ser um aliado para diminuição do colesterol alto, prevenção contra doenças cardiovasculares e Mal de Alzheimer e ainda sua ação no sistema límbico, afastando a depressão e produzindo sensação de prazer e bem estar. Isso devido a compostos fenólicos que atuam como antioxidantes importantes como a cafeína, ácido caféico e ácido clorogênico , que atuam como protetoras das nossas células e estão presentes na bebida.

Quando o processo de torrefação é feito adequadamente, podemos encontrar de 6 a 10% de cafeína, (evite temperaturas excessivamente altas na preparação para não perder os antioxidantes), pois podemos ainda encontrar aminoácidos, sais minerais e algumas vitaminas. Não podemos esquecer também do efeito positivo da cafeína na melhora da performance na atividade física (confira o post sobre a Caféína x atividade física na Liga da Saúde):

http://ligadasaude.blogspot.com/2011/05/cafeina-x-atividade-fisica.html

Mas, como diz o ditado, “tudo demais, é veneno”. O ideal é consumir no máximo 3 xícaras ao longo do dia, e sempre evitando os horários noturnos. Quando o café é ingerido com muita freqüência ao longo do dia, o que deveria ser protetor, acabar se tornando um vilão para nossa saúde. Além de prejudicar quem possui doenças no estômago (contra indicado para Gastrites e úlceras, pois estimula acidez gástrica), o fato que quando o Sistema Nervoso Central é estimulado por várias vezes ao dia (devido a cafeína), o organismo acaba produzindo mais Cortisol e Adrenalina do que o necessário, fazendo com que haja sobrecarga sobre nossos vasos sanguíneos e coração, e como consequência o aumento de pressão arterial, e claro, estresse e ansiedade. Esses efeitos são ainda mais deletérios quando associado ao cigarro. Lembrando que quando um hormônio encontra-se alterado no nosso organismo, ocorre uma desregulação nos demais. Você já parou para pensar quantas colheres de açúcar ou adoçantes artificiais você também ingere com o alto consumo de café ao longo de um dia? Outra informação bem importante, é que níveis altos de Cortisol e Adrenalina estão relacionados a aumento de peso e gordura abdominal, insônia e apnéia do sono, além do risco para o aumento da pressão arterial.

Outro cuidado: não ingerir o café antes e após grandes refeições (almoço e jantar), pois a cafeína, fitato e tanino presentes na bebida inibem a absorção de Cálcio e Ferro e o aproveitamente de alguns nutrientes pelo organismo, sendo também responsável por anemia por deficiência de Ferro e osteoporose, pois o Ferro e o Cálcio deixam de ser aproveitado e absorvido pelo nosso organismo. Já sei... você deve ter pensado no seu cafezinho com leite...

Após tantas informações, aprecie seu café com moderação, e desfrute de todos os benefícios que essa bebida tão saborosa pode oferecer. Como tudo, o equilíbrio alimentar é sempre muito bem vindo!

Muita saúde a todos!




A pílula mágica



Como já disse em outros artigos, NÃO existe “pílula mágica”, ou seja, remedinho que tenha ação rápida, sem efeitos indesejáveis associados e que seja totalmente resolutivo supostamente sem qualquer cooperação por parte de quem o toma. Mas por um momento, suponhamos que coelho da Páscoa, Papai Noel e político (“profissional”) honesto tenham passado a existir e é claro, também nossa pílula mágica: o que aconteceria se você a ingerisse?

Como é uma pílula, assim que você a engole ela cai no esôfago, a entrada do que chamamos “tubo gastrintestinal” (que só termina no ânus) e terá que percorrer todo este tubo até chegar aos intestinos (delgado e grosso), onde será absorvida. Só que este tubo é essencialmente um conjunto de músculos que transporta o que ingerimos através de movimentos coordenados de contração chamados de peristalse. E como todo músculo, para funcionar direito, precisa de oxigênio, água e nutrientes, sua pílula já não vai chegar a lugar algum se seu organismo não tem respiração, água e nutrientes em quantidade e qualidade adequados. E lembre-se que TODO músculo precisa de “descanso” e reparo periódicos ou entra em fadiga e adivinhe quando seus músculos realmente descansam: durante boas noites de sono; Mas suponhamos que seus hábitos forneçam estes suficientemente...

Através dos movimentos do esôfago, sua pílula mágica cai no estômago e daí é levada para os intestinos, onde ela precisa ser dissolvida (em água, é claro!) para somente assim, já sob a forma de partículas menores, ser absorvida e cair no sangue. Ora: intestinos só funcionam direito na presença de água, fibras e flora intestinal adequada (+ nutrientes, já que são músculos, lembra-se?); se algum destes faltar, seu intestino NÃO vai conseguir absorver nada como deveria e você vai eliminar sua pílula mágica nas fezes. Você quer isto? É claro que não! Então suponho que você tenha adequado consumo de nutrientes, fibras, água e lactobacilos...

Agora sim: sua pílula mágica foi absorvida pelos intestinos e foi parar na sua corrente sangüínea... Ótimo! A história pára por aí, resolvida? Não: seu sangue tem que circular BEM para que sua pílula seja distribuída para os órgãos do corpo onde você espera que ela atue “magicamente” como esperado. Ocorre que uma boa circulação sangüínea depende do bom funcionamento de veias, artérias, vasos linfáticos e do seu coração que, novamente, são basicamente músculos (relembrando: músculos precisam de oxigênio, água e nutrientes); depende também de um sangue fluido, “fino”, fácil de ser movimentado, o que só pode ser conseguido na presença de muita água (já que cerca de 92% do sangue é água); e depende muito, de maneira importante, de exercício físico regular no seu cotidiano, o que otimiza a função muscular geral e assim é imprescindível para a boa circulação sangüínea.

E quando a pílula chega aos órgãos-alvo, onde deve agir, é a água quem vai transportá-la do sangue para os tecidos destes órgãos, onde finalmente seu efeito “mágico” ocorrerá.

Para terminar, é CLARO que não existe “pílula mágica” mas pense que o trajeto acima é o mesmo que seus remédios, medicamentos ou suplementos têm que percorrer para poderem surtir os efeitos esperados: entendeu então, de uma vez por todas, que sem os bons hábitos de vida já tão ressaltados eles podem ter sua eficácia reduzida ou mesmo NÃO agirem?

Boa reflexão e Saúde!

Um abraço


Nutrição celular x alimentos funcionais



Para começar a falar do assunto, darei o seguinte exemplo: todo tecido adiposo que precisa se eliminado, (não falaremos de perdas, pois quem perde algo um dia encontra...) deve ocorrer, de corpo e alma (irei explicar)... Sim de alma também, pois de nada adianta emagrecer à base de remédios ditos como “milagrosos” e em seguida recuperar tudo e mais um pouco, com uma diferença mais do que significante: sua estima e emoções lá no chão, fraqueza, desânimo, mal estar, e de quebra alguns outros grandes problemas de saúde...
Emagrecer com saúde é tudo de bom! E para isso, temos que incluir alimentos que proporcionem bem estar, e que forneçam para nossas células nutrientes importantes para funcionar adequadamente ou seja Nutrição Celular. Temos aproximadamente 300 trilhões de células e 50 bilhões delas precisam ser renovadas todos os dias. Para se ter idéia, a deficiência de um ou mais nutrientes ou ainda a presença de metais tóxicos e ou toxinas ambientais serão suficientes para impedir a quebra de gordura, por exemplo. Sem isso, emagrecer ou qualquer outro objetivo acaba sendo uma grande ilusão. Nada de passar horas sem comer ou ainda procurar maneiras extraordinárias ou rápidas demais para solucionar o problema! Nossas células precisam de uma infinidade de nutrientes para trabalhar corretamente!
Os alimentos conhecidos como funcionais, são todos que realizam uma determinada função no nosso organismo para proporcionar a manutenção geral da saúde e do bem estar auxiliando assim na prevenção de doenças. Não possuem poder curativo, mas possuem benefícios fisiológicos cientificamente comprovados para nosso organismo. Hoje citaremos alguns deles.
Começaremos então com o Chá Verde / Chá branco. Ótimo para perca de peso, diminuição do colesterol e aumento do  metabolismo. Temos um post completo falando sobre o assunto na Liga da Saúde http://ligadasaude.blogspot.com/2011/06/cha-verde-e-seus-beneficios.html
Tomate : fonte de Licopeno, um antioxidante com ação benéfica no combate aos radicais livres. A ingestão de tomate e produtos de tomate (molho, polpa) pode promover uma redução de 30% no risco de câncer de próstata, atém de melhora do sistema imune. As maiores quantidades de licopeno são encontrados em molhos de tomate.
Vegetais crucíferos (ou brássicas): brócolis, couve flor, couve-de-bruxelas, couve e repolho): Contém substâncias chamados de SULFAROFANOS, capazes de eliminar substâncias químicas responsáveis por mutações cancerígenas e  crescimento de tumores
Peixes, óleos de peixe e linhaça: No salmão, atum e sardinha encontramos uma gordura insaturada, o ÔMEGA 3. Um detalhe importante, é que não há produção dessa gordura importantantíssima pelo nosso organismo, fazendo-se necessária sua ingestão. Muitos estudos comprovam sua eficácia para prevenção de doenças cardiovasculares, síndrome do olho seco, efeito vasodilatador suave, controle da agregação plaquetária,  inibição da oxidação do LDL colesterol, prevenção do mal de Alzheimer, controle de desordens inflamatórias, auto imunes e proteção contra câncer.
       A LINHAÇA além de rica em ômega 3 é rica em LIGNANA, um fito-estrogênio de ação relacionada à prevenção do câncer de mama e próstata.
Uvas vermelhas, sucos de uva e vinho tinto:  As uvas escuras, assim como o suco de uva orgânica e o vinho tinto têm altas concentrações de ANTIOXIDANTES FENÓLICOS (catequina, epicatequina, resveratol), Estudos mostram a relação inversa com seu consumo e riscos de doenças cardiovasculares, além de possuir ação antioxidante potente inibir a oxidação das gorduras, agregação plaquetária e também ação preventiva contra diversos tipos de cânceres
Alho: As substâncias encontradas no alho (Aliina e Alicina), possui papel antioxidantes, além de ajudar na redução das taxas de colesterol e pressão arterial. Seu consumo regular impede que o colesterol se fixe na parede das artérias evitando o entupimento dos vasos e aumentando sua elasticidade, favorecendo a circulação. Fortalece também o sistema imune e previne contra diversas infecções. Inibe a formação das nitrosaminas, associadas ao câncer do aparelho digestivo. Funciona também como antibiótico natural, ajudando a combater a Helicobacter pylori.
A recomendação é o uso de 1 dente de alho ao dia (cru, ralado em saladas, por exemplo), ou cápsulas de óleo de alho.
 Cereais integrais:  Os grãos apresentam nutrientes como vitaminas do complexo B, minerais e fibras que são essenciais para o funcionamento do intestino, além de ajudar no controle da glicemia e taxas de colesterol. Ajudam também a aumentar a saciedade,
Chocolate amargo (pelo menos 70% de Cacau): O cacau é fonte de catequinas de efeito antioxidante que ajudam a reduzir a agregação plaquetária e auxiliar no controle do colesterol.
Prebióticos e probióticos: PROBIÓTICOS são microorganismos vivos, que quando ingeridos em determinado número apresentam ação benéfica a saúde, equilibrando a Flora Intestinal, além de reduzir  o colesterol sangüíneo e controle de diarréias. Estudos também comprovam a sua eficácia no risco de desenvolvimento de alguns tipos de câncer.
Os ALIMENTOS PREBIÓTICOS (cebola; alho; tomate; aspargos; alcachofra; banana; cevada; centeio; aveia; trigo e mel), promovem o crescimento dos PROBIÓTICOS, fortalecendo a flora intestinal.
Para finalizar, não podemos deixar de falar da nossa velha e conhecida amiga ÁGUA. Beba muita, muita, muuiiiita, mmmmuiiiiitttttaaaa água! Pelo menos 2 litros por dia. Intestino, cabelo, pele, e todo seu organismo agradecem.
Aos praticantes e não praticantes de atividades físicas: temos um vilão que convivemos 24 horas por dia. São os temíveis radicais livres (conheça um pouco mais também na Liga da Saúde http://ligadasaude.blogspot.com/2011/06/quer-envelher-com-saude-aposte-nos.html.Essas substâncias quando produzidas em excesso: (fumo, atividade física em excesso, frituras, alto consumo de bebidas alcoólicas, medicamentos em excesso, estresse, exposição excessiva de metais tóxicos, agrotóxicos, etc.) são responsáveis pelo envelhecimento precoce e desencadeamento de diversas doenças. Mas como a natureza e Deus são sábios, possuímos um sistema que chamamos de antioxidantes (mais um motivo para ingerir alimentos funcionais!), responsáveis por “expulsar” as tais espécies. Porém, para esse mecanismo estar sempre a todo vapor nos protegendo, precisamos ingerir alimentos que possuam nutrientes com compostos antioxidantes, para que os radicais livres sejam combatidos com eficácia. Não deixe também de fora do seu cardápio: açaí (sem adição de guaraná, suco de uva orgânico, morango, melancia, beterraba, couve, cenoura, abóbora, tomate, ovos (de preferência, caipira), sardinha, brócolis, couve-flor, laranja, acerola, abacate, caju, goiaba, além de todos os alimentos citados acima...
Bom, podemos concluir que contar calorias acaba sendo muito pequeno para nosso complexo – e maravilhoso corpo humano. Após o conhecimento de alguns alimentos funcionais, imprescindíveis para nutrir corretamente suas células, qualquer argumento não será suficiente para privação do nosso organismo, caso contrário em algum momento ele também nos privará de algo.  Faça a escolha certa e economize na farmácia!  Sim, você pode escolher... Comprovadamente, tudo mudará para melhor! 
Abaixo 4 receitinhas para ajudá-los a por em prática um pouco sobre o que abordei.

Muita Saúde a todos e bom apetite!

Almôndegas de Aveia
- 1 xícara de aveia integral em flocos
- 1 xícara de salsinha picada
- 1 xícara de cenoura ralada
- ½ xícara de cebolinha picada
- ½ xícara de manjericão fresco picado
- ½ xícara de farinha sem glúten ou farinha de trigo integral
- ½ xícara de farinha rosca
- 2 colheres de sopa de queijo ralado
- 2 ovos caipiras batidos
- sal marinho à gosto
Preparo:  Cozinhar a aveia até os grãos ficarem macios. Cozinhe por 5 minutos e coe em uma peneira. Misture a aveia coada com os demais ingredientes, mexendo bem. Em seguida, unte a assadeira e com o auxílio de uma colher, faça bolinhos. Leve ao forno médio por 25 minutos.

Shake de Banana, Maçã e Pêra
- 2 bananas congeladas
- 1maçã sem casca
- suco de 1 laranja
-  ½ xícara de pêra cortada em pedaços
Preparo:  Bater todos os ingredientes no liquidificador até obter a consistência desejada.

Legumes gratinados
- 4 xícaras de verduras variadas (couve-flor, brócolis, rodelas de cenoura, abobrinha, tirinhas de pimentão, etc)
- ¼ de xícara de queijo cottage
- 1 colher de sopa de nozes
Preparo: Corte as verduras e cozinhe no vapor até ficarem al dente. Coloque em uma travessa, polvilhe o queijo cottage e leve ao forno para gratinar. Após 10 minutos, retire do forno, salpique com as nozes e sirva. Para dar o toque final, acrescente salsinha e cebolinha.

Sardinha na Pressão
- 10 filés de sardinha limpos,
- 2 cebolas cortadas em rodelas
- 2 tomates grandes cortados em rodelas
- 1 pimentão verde cortado em rodelas
-  2 dentes de alho amassados
- 3 colheres (sopa) de salsinha picada
- 1 colher sopa de azeite extravirgem
- suco de 1 limão
 - pimenta vermelha  e sal marinho a gosto.

Tempere as sardinhas com o suco de limão, o alho e a pimenta. Misture em uma tigela, as cebolas, os tomates, o pimentão e a salsinha. Separe em duas partes iguais e reserve. Arrume em uma panela de pressão, uma das partes da mistura, a sardinha, a outra metade da mistura e por fim, regue com o azeite. Tampe a panela de pressão e leve ao fogo alto. Quando a panela começar a apitar, abaixe o fogo para o mínimo e marque 10 minutos. Desligue o fogo, espere sair a pressão, abra a panela, leve a uma travessa.



Os 3 “combustíveis” do organismo humano




Você conhece alguma máquina que opere SEM algum combustível? Por exemplo, algum carro que rode sem gasolina, álcool ou similares (só se for “ladeira abaixo” mas, até neste caso, impulsionado pela força da gravidade)? Não existe, não é? Pois com o organismo humano não é diferente: ele precisa de “combustíveis” para funcionar ou adoece; e de fato: a maioria dos distúrbios e doenças é causada ou mantida por falta ou alguma perturbação no fornecimento destes “combustíveis” para as nossas células.

Mas afinal, quais são estes 3 combustíveis, essenciais para a vida humana com equilíbrio e qualidade de vida? São o ar que respiramos, a água que bebemos e os alimentos que ingerimos; quando eles faltam ou são providos de forma inadequada, adoecemos ou permanecemos doentes. Simples assim.

O ar fornece o OXIGÊNIO para os pulmões, que passam este para o sangue que, por sua vez, transporta-o para todas as partes do organismo; dentro das nossas células, na presença fundamental de água e nutrientes provenientes dos alimentos, é produzida a ENERGIA que mantêm nossas funções orgânicas e assim, nossa vida. Por isso, é importante que o sangue circule direito mas, acima de tudo, que nossos pulmões possam adequadamente receber ar e extrair deste o oxigênio necessário, fazendo-o chegar ao sangue em quantidade e qualidade suficientes. Fica claro, portanto, que é vital que nós respiremos direito. A pergunta é: você respira direito?

Inúmeros estudos mostram que a maior parte da humanidade não respira direito, por diversas causas, entre elas doenças e má qualidade do ar mas a mais importante é uma causa bem mais simples mas muito negligenciada: respiramos mal e superficialmente; em outras palavras, passamos a grande parte do dia sem utilizar sequer 40% da capacidade dos nossos pulmões e desta forma não renovamos adequadamente o ar dentro deles; resultado disto: não “oxigenamos” direito nosso sangue, que faz circular menos oxigênio que o necessário a uma vida tão produtiva quanto possível. E a principal causa desta respiração superficial é o “mal do século” (deste e do anterior): STRESS. São raros os seres humanos que não têm algum grau de stress psicológico “crônico” e este stress restringe a movimentação da musculatura mais importante para a inspiração e expiração, o diafragma, que com menos mobilidade que o desejável impossibilita cada respiração tão profunda como deveria ser.

Yoga, Tai chi chuan, técnicas fisioterápicas (RPG, por exemplo), meditação e similares são exemplos de estratégias que ajudam a respirar melhor e são mais que recomendadas para quem possa aprendê-las e usá-las no cotidiano. Mas para quem não tem possibilidade imediata de colocá-las em prática, uma dica simples: várias vezes por dia, procure soltar o máximo de ar dos seus pulmões e depois inspire profundamente; você gastará apenas alguns segundos em cada vez que fizer isso e estará renovando BEM maior quantidade de ar nos seus pulmões que sua respiração habitual. Crie o hábito de praticar inspirações e expirações mais profundas várias vezes por dia e sinta os bons resultados.

Sobre a água, leia mais em http://www.icaro.med.br/agua/ : todas as reações químicas no corpo e mente ocorrem nela ou precisam dela para ocorrer, o que torna incompatível com a vida ingeri-la em quantidade insuficiente; pena que muitas pessoas descubram isto da PIOR forma possível...

Quanto aos alimentos, sua importância já foi e é exaustivamente ressaltada no blog da Liga da Saúde (ligadasaude.blogspot.com) e estes links reforçam: http://www.icaro.med.br/category/1-alimentacao-saudavel/  e http://www.youtube.com/watch?v=hEXLQ22_d1w : sem alimentação em quantidade e qualidade adequadas, o organismo é incapaz de produzir o que precisa, não só energia mas também qualquer estrutura de que necessite, por mais básica que seja.

Entenda, portanto, que se Confúcio está correto (e está) em sua assertiva (“Toda caminhada começa por um simples passo”) as bases para a sua SAÚDE, bem-estar e qualidade de vida de verdade não residem em tratamentos ou medicamentos “mirabolantes” ou “milagrosos”, mas em hábitos saudáveis de vida e, acima de tudo, no provimento adequado para o seu organismo dos 3 “combustíveis” que ele precisa para mais que sobreviver: mas VIVER. Reflita e lembre-se disso, para o seu bem, daqui pra frente.

Um abraço

Ícaro Alves Alcântara
Twitter: @qualidade_vida



Falta de tempo ou falta de planejamento?








Os maiores motivos de morte ou seqüelas em todo o mundo são as doenças circulatórias, sendo as principais infarto e acidente vascular cerebral (“derrame”): é bem sabido e estudado que suas principais causas são fatores físicos e psicológicos plenamente evitáveis/controláveis, relacionados à adoção e manutenção de hábitos de vida mais saudáveis (saiba mais sobre eles em http://www.icaro.med.br/category/habitos-saudaveis-de-vida/); e se a inflamação é o principal fator físico que os hábitos de vida ruins trazem e mantem, no âmbito psicológico é o stress o maior culpado, direta ou indiretamente, por “adoecer” o ser humano ou mantê-lo doente.
O stress agudo, por curtos períodos de tempo, é fundamental para que o organismo possa adaptar-se a uma situação nova e resolvê-la mas o stress crônico, mantido por tempo “demais”, coloca o organismo essencialmente em um estado de alerta que ocasiona alterações neuro-endócrinas profundas, levando o corpo e mente à exaustão por consumo excessivo de nutrientes associado a insuficiente reposição destes e falta de “descanso” adequado para recuperar-se. Em outras palavras, o “estressado” vai exigindo cada vez mais do seu organismo sem oferecer-lhe condições de preparar-se para a demanda crescente, de energia, nutrientes e repouso.
Aí você me pergunta: “Mas Ícaro, você não disse acima que os fatores que levam às doenças circulatórias são em sua maioria plenamente evitáveis/controláveis? O stress não é um deles”? Sim, é... A grande questão é que o controle do stress é um dos principais problemas da humanidade nas últimas décadas. Isto porque, de maneira simplista para esta análise, cobra-se cada vez mais produtividade (a sociedade do indivíduo e muitas vezes este dele mesmo) e soluções rápidas para todo e qualquer problema e nesta busca mal conduzida, quase sempre é alegada a falta de um ingrediente simples: TEMPO.
Resolver problemas, toma tempo; produzir, leva tempo; só que as pessoas esquecem que quem produz ou soluciona impasses é o organismo humano que, em desequilíbrio, não tem como cumprir estas missões e ainda adoece no caminho... E assim, o erro mais comum do ser humano é não reservar tempo para suprir seu corpo e mente em suas necessidades básicas, por julgar erradamente que gastar tempo com isto é perda de tempo que deveria estar sendo empregado em trabalhar mais, resolver mais, produzir mais. Em outras palavras, quando submetido a stress, comumente o indivíduo deixa de tomar água direito, não se alimenta adequadamente, não se exercita o suficiente, priva-se de sono e sequer respira com a devida profundidade; fica, assim, mais propenso a cometer excessos e deixa até de procurar pelo apoio de profissionais de saúde (médicos, nutricionistas, psicólogos, etc) com a periodicidade necessária (os mesmos que poderiam ajudá-lo a identificar e reverter todo este processo): afinal, no seu conceito, tudo isto leva tempo e o estressado “não tem tempo a perder”, não é? E todos estes comportamentos vão lentamente exaurindo o organismo, causando mal-estar, sintomas e doenças, mas o que o indivíduo sob stress faz? Aprende a conviver com estes com insatisfação crescente já que “não pode parar” e com isso acelera ainda mais seu declínio orgânico ao mesmo tempo em que fica cada vez menos produtivo. Mas não eram justamente produtividade e resolutividade os grandes “X” da questão?
E pouco adiantam fórmulas mágicas tidas como “anti-stress” no contexto de um organismo que, pelo stress, sequer tenta manter o mínimo de hábitos de vida saudáveis (entenda por que em “A Pílula Mágica”: http://www.icaro.med.br/category/a-pilula-magica/); ou você acha mesmo que um “remedinho” vai fazer por você tudo o que você negligencia, diariamente?
Por tudo isso, um recado simples para os “estressados”: tirar um tempinho de cada dia para cuidar de si mesmos NÃO é perda de tempo, mas sim a única forma, necessária, de manter seus corpos e mentes plenamente capazes de fazerem frente ao stress, com sucesso, sem sacrificarem sua saúde para isso; e é perfeitamente possível através de algo simples mas pouco praticado: PLANEJAMENTO (“... deixe a vida me levar, vida leva eu” é uma noção a ser apreciada apenas no contexto da música de que faz parte). Se você não praticar exercícios físicos, ninguém poderá executá-los por você e é a SUA circulação que vai entrar em colapso; o mesmo ocorre com água, alimentação, sono e respiração adequados: se você não buscar promovê-los, acha mesmo que alguém poderá fazê-los por você?
Pouco posso aconselhar sobre planejamento, já que cada pessoa TEM que aprender a encaixar o cuidado com seu próprio organismo entre as suas muitas tarefas diárias e cada um tem a sua rotina. Para mim, ajudou bastante o livro de Stephen Covey, os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes, mas o conceito é simples: programe melhor o seu dia, com antecedência e poderá minimamente ter hábitos de vida mais adequados; digo com a segurança de dezenas de milhares de pacientes atendidos que para a grande maioria, quando perceberam a importância de cuidarem melhor de si mesmos (o que vinha negligenciando), de foco em seu corpo e mente, até deu trabalho mas foi perfeitamente possível incluir tempo para a prática de melhores hábitos na rotina diária; os resultados disto? Mais saúde, mais bem–estar e melhor qualidade de vida e produtividade. E não era isto o principal objetivo, desde o começo?
Então, está esperando o que para começar? O primeiro infarto ou derrame, que podem te tirar muito ou “todo o tempo do mundo”?
Um abraço
Ícaro Alves Alcântara
Twitter: @qualidade_vida

http://www.icaro.med.br/category/habitos-saudaveis-de-vida/

Detox e seus benefícios


Detoxificação ou desintoxicação? Bem na verdade, todos os termos possuem o mesmo significado: eliminação de substâncias tóxicas, que muitas das vezes, ingerimos e nosso organismo por esse excesso de consumo, pode começar a acumular. Todas essas substâncias, principalmente vindo de fármacos, alimentos industrializados e vegetais ricos em agrotóxicos precisam passar por alguns processos bioquímicos no nosso organismo para que tal substância tenha capacidade de eliminação. Esse é um tema longo e abrangente, mas aqui falarei para que possam entender um pouco sobre o assunto.
Esse é um processo fisiológico, nosso organismo sempre vai ser realizá-lo. A detox (como normalmente chamamos) é realizado por todas as células de todos os tecidos, mas principalmente pelo intestino (20%, aproximadamente) e no fígado entre 60 a 65%. Então problemas de constipação intestinal, diarréias recorrentes ou problemas hepáticos (como a esteatose hepática, conhecida como “gordura no fígado”), normalmente podem não estar desempenhando bem essa função.
Porém, existem duas principais limitações: problemas genéticos (que possam impedir ou dificultar a eliminação) ou quando o consumo é maior que a capacidade que nosso organismo tem de eliminação. Verifico na minha prática clínica o segundo problema ocorrendo com muitos pacientes e com frequência, e o motivo: a falta de tempo para um consumo de alimentos com qualidade. A preocupação sempre é a falta de tempo e ainda se o produto consumido é diet ou light.
Caímos em uma outra questão: na sua grande totalidade, esses tipos de alimentos processados tem baixa qualidade nutricional e alta quantidade de adoçantes artificiais, corantes, acidulantes, conservantes (a lista é grande) entre outros, e quando consumidos em grandes quantidades é como nosso organismo ficasse saturado de tal substância e não reconhecesse o excesso do mesmo.
Há ainda outros fatores que aumentam o caráter tóxico do nosso organismo: jejum, dieta de baixa caloria e qualidade nutricional, dieta pobre em proteínas, deficiência de vitaminas e minerais, dietas ricas em carboidratos e gorduras saturadas, cigarro, álcool, alimentos ricos em adoçantes (principamente artificiais) e intoxicação por metais tóxicos (é mais comum do que imaginamos!).
Mas, como saber se estamos afetados por toxinas? Preste atenção se você tem múltiplas hipersensibilidades, ansiedade, tonturas, déficit de memória, concentração ruim, fadiga excessiva, queda de cabelos, unhas fracas, celulite, colesterol alterado, dores de cabeça/enxaqueca, desordens tireoidianas, dificuldade para emagrecimento entre outros sintomas/doenças. Importante: consulte sempre um profissional capacitado para ter certeza e avaliar a origem do seu problema.
De fato, para a detox ser eficiente, não é tão simples assim.  A verdadeira detoxificação abrange 3 períodos onde vários grupos alimentares são eliminados e outros priorizados: glúten, leites e derivados, açúcar, café, qualquer alimentos processado, carnes vermelhas e em determinado período até oleaginosas, peixes e ovos. Esse processo deve ser de no mínimo 21 e no máximo de 30 dias.
No nosso organismo, o processo de detoxificação compreende em duas etapas (todas dependentes de nutrientes essenciais): fase I (biotransformação ou bioativação) e fase II (conjugação). Os nutrientes utilizados vão de vitaminas, minerais e antioxidantes, a probióticos,  aminoácidos (glicina, cisteína, glutamina...) e alguns fitoterápicos (como a silimarina, dente-de-leão e alcachofra) para que as duas fases descritas anteriormente recebam todo o aporte nutricional suficiente para ser realizadas pelo seu organismo com sucesso.
 Acredito que nesse momento você deve estar se perguntando: o que comer? Não se preocupe, pois durante o processo de limpeza (“roto-ruter”) e eliminação de toxinas, precisamos priorizar o consumo de vegetais (principalmente orgânicos), recorrer aos leites de arroz, de quinua ou castanha, cereais integrais, azeite, frutas e suco de frutas, chás, ervas entre outros. A criatividade é um fator fundamental nesse momento, pois há criação de muitas possibilidades com esses alimento. Já passei por uma detox esse ano, posso falar com propriedade: foi ótimo!  E como valeu a pena!
Aliado a todo esse processo, para aumentar a capacidade de desintoxicação do nosso organismo e promover saúde e emagrecimento saudáveis e efetivos, é necessário também  praticar atividades físicas (sempre com supervisão de profissionais capacitados e autorização médica), drenagem linfática, diminuir a ingestão de medicamentos sem prescrição médica e consumir alimentos (de preferência orgânicos) que aumentem a capacidade de detoxificação do nosso organismo:  couve, vegetais verdes escuros, limão, romã, alecrim, própolis, cúrcuma, frutas, chá verde. Não podemos esquecer da água, ok? Sem ela, todo esforço será em vão.
Adicione esses alimentos diariamente e siga as dicas acima diminuindo a ingestão de susbstâncias químicas e verifique como seu organismo funcionará melhor. Sempre que possível, priorize os alimentos orgânicos e consuma suco de limão com hortelã, arroz integral com cúrcuma, salada de grãos com couve regado ao azeite extra virgem, chá de ervas...
Seu sistema de detoxificação (e seu organismo) sempre funcionarão a todo vapor! Sem contar que as doenças passarão bem longe de você...
Muita saúde a todos!

O poder do açafrão


No meu último post falei dos alimentos anti-câncer http://ligadasaude.blogspot.com/2011/07/combatendo-o-cancer-com-os-alimentos.html), dos quais se destaca, por suas inúmeras propriedades, o açafrão.

Os mais incrédulos logo pensam! Não existe comprovação científica para tais alegações. Para vocês, incrédulos, deixo no final do texto as referências bibliográficas e de diversos estudos a respeito deste “remédio natural”, barato, acessível a toda a população e relegado até o momento. Será por quê? Mais uma vez a resposta não poderia ser outra: não pode ser PATENTEADO, por ser uma substância natural. Teria de ser algo sintético para dar mais lucro para os grandes laboratórios.

Deixando as reclamações de lado, vamos ao açafrão que interessa:

É popularmente conhecido por açafrão da Índia, “Turmeric”, Cúrcuma longa ou açafrão amarelo, pertencente a família do gengibre. No Brasil é extensivamente cultivada; em especial na minha morada Minas Gerais e no meu berço goiano(Goiás).

O Açafrão da Índia não deve ser confundido com o “Açafrão Verdadeiro”, que provem de uma flor de outra planta (Crocus sativus), utilizado também como tempero na culinária européia, muito caro e que não tem os benefícios terapêuticos da raiz do açafrão; de onde se extrai o componente principal: a curcumina.

É uma raiz que pode ser encontrada em qualquer mercado, a preços baixíssimos.

A cúrcuma tem sido utilizada na medicina Ayuverdica e na medicina tradicional da Índia, por centenas de anos e em diversas doenças. Vários tipos de câncer, como o de mama, cólon, próstata entre outros, têm uma incidência muito menor na Índia em comparação aos EUA. Diversos estudos mostram a importância da alimentação na redução e prevenção de câncer. O consumo regular do açafrão na Índia, confere proteção aos seus habitantes.

A cúrcuma tem diversos benefícios para a nossa saúde, que se eu fosse listar perderíamos o objetivo deste texto. Vão achar que é um “Pó Mágico”. Bom eu acredito e, portanto, vou me ater às suas propriedades anti-câncer e anti-inflamatórias.

A curcumina no câncer tem efeitos de inibir o crescimento tumoral; induzir a apoptose (suicídio) das células tumorais; inibir a neo-angiogênese( formação de novos vasos que “alimentam” o câncer) e, por tudo isso, reduz e até inibe as metástases( propagação das células cancerígenas pelo corpo).

A curcumina tem poder anti-inflamatório comparado ao dos corticóides; claro que sem os devastadores efeitos colaterais destes últimos, quando usados a longo prazo. Tenho experiência na melhora da inflamação, por exemplo, de pacientes com artrite reumatóide, com redução expressiva dos sintomas da doença. A curcumina inibe a cicloxigenase, importante via inflamatória. Então pode ser usada como “droga” anti-inflamatória com eficácia comprovada e de ótima tolerância( baixos efeitos colaterais)..

O uso isolado da curcuma, como terapia, pode não ter os efeitos desejados, pois diversos estudos mostram que ela é rapidamente metabolizada na sua passagem pelo fígado e, então, sua biodisponibilidade para as células fica drasticamente reduzida. Com isso, verificou-se que o uso da cúrcuma em conjunto com uma substância chamada de piperine, extraída da pimenta negra, aumenta sua ação em 150%.

Com este pequeno resumo, recomendo às pessoas saudáveis, o uso do açafrão como preventivo. Consumo diário de uma colher de chá ao dia que pode ser colocado no arroz, em caldos ou em saladas. Para quem está em tratamento ou já esteve em tratamento para o câncer, recomendo que procure informação junto a um profissional que saiba fazer o manejo da fitoterapia em forma de suplementação; pois a curcuma pode ser manipulada em cápsulas para uso terapêutico.


Nosso remédio está na despensa de casa e não na prateleira das farmácias.


Referência Bibliografia:

  • FOOD, NUTRITION AND THE PREVENTION OF CANCER: A global perspective. Washington DC: World cancer research fund/American Institute for Cancer Research 1997.
  • HUANG MT, LOU YR, MA W, NEWMARK HL, REUHL KR AND CONNEY AH: Inhibitory effects of dietary curcumin on forestomach, duodenal, and colon carcinogesis in mice. Cancer Res 54: 5841-7, 1994.
  • HUANG MT, LOU YR, XIE JG, MA W, LU YP, YEN P, ZHU BT, NEWMARK H AND HO CT: Effect of dietary curcumin and dibenzoylmethane on formation of 7,12dimethylbenz(a)anthracene induced mammary tumors and lymphomas/leukemias in Sencarmice. Carcinogenesis 19: 1697-700, 1998.
  • IKEZAKI S, NISHIKAWA A, FURUKAWA F, KUDO K, NAKAMURA H, TAMURA K AND MORI H: Chemopreventive effects of curcumin on glandular stomach carcinogenesis induced by N-methyl-N’-nitro-N- nitrosoguanidine and sodium chloride in rats. Anticancer Res 21: 3407-11, 2001.
  • INANO H AND ONODA M: Prevention of radiation-induced mammary tumors. Int J Radiat Oncol Biol Phys 52: 212-23, 2002.
  • INANO H, ONODA M, INAFUKU N, KUBOTA M, KAMADA Y, OSAWA T, KOBAYASHI H AND WAKABAYASHI K: Potent preventive action of curcumin on radiation-induced initiation of mammary tumorigenesis in rats. Carcinogenesis 21: 1835-41, 2000.
  • INANO H, ONODA M, INAFUKU N, KUBOTAM, KAMADA Y, OSAWA T, KOBAYASHI H AND WAKABAYASHI K: Chemoprevention by curcumin during the promotion state of tumorigenesis of mammary gland in rats irradiated with gamma-rays. Carcinogenesis 20: 1011-8, 1999.
  • JOE B AND LOKESH BR: Effect of curcumin and capsaicin on arachidonic acid metabolism and lysosomal enzyme secretion by rat peritoneal macrophages. Lipids 32: 1173-80, 1997.
  • KAWAMORI T, LUBET R, STEELE VE, KELLOFF GJ, KASKEY RB, RAO CV AND REDDY BS: Chemopreventive effect of curcumin, a naturally occurring anti-inflammatory agent, during the promotion/progression stages of colon cancer. Cancer Res 59: 597-601, 1999.
  • KIM JM, ARAKI S, KIM DJ, PARK CB, TAKASUKA N, BABA-TORIYAMA H, OTA T, NIR Z, KHACHIK F, SHIMIDZU N, TANAKA Y, OSAWA T, URAJI T, MURAKOSHI M, NISHINO H AND TSUDA H: Chemopreventive effects of carotenoids and curcumins on mouse colon carcinogenesis after 1,2-dimethylhylhydrazine initiation. Carcionogenesis 19: 81-5, 1998.
  • KRISHNASWAMY K, GOUD VK, SESIKERAN B, MUKUNDAN MA AND KRISHNA TP: Retardation of experimental tumorigenesis and redutction in DNA adducts by turmeric and curcumin. Nutr Cancer 30: 163-6, 1998.
  • KUTTAN R, BHANUMATHY P, NIRMALA K AND GEORGE MC: Potential anticancer activity of turmeric (Curcuma longa). Cancer Lett 29: 197-202, 1985.
  • LI N, CHEN X, LIAO J, YANG G, WANG S, JOSEPHSON Y, HAC C, CHEN J, HUANG MT AND YANG CS: Inhibition of 7,12-dimethylbenz(a)anthracene (DMBA)-induced oral carcinogenesis in hamsters by tea and curcumin. Carcinogenesis 23: 1307-13, 2002.
  • LIAO S, LIN J, DANG MT, ZHANG H, KAO YH, FUKUCHI J AND HIIPAKKA RA: Growth suppression of hamster flank organs by topical application of catechins, alizarin, curcumin, and myristoleic acid. Arch Dermatol Res 293: 200-5, 2001.
  • LIMTRAKUL P, LIPIGORNGOSON S, NAMWONG O, APISARIYAKUL A AND DUNN FW: Inhibitory effect of dietary curcumin on skin carcinogenesis in mice. Cancer Lett 116: 197-203, 1997.
  • LU YP, CHANG RL, HUANG MT AND CONNEY AH: Inhibitory effect of curcumin on 120-tetradecanoylphorbol-13-acetate-induced increase in ornithine decarboxylase mRNA in mouse epidermis. Carcinogenesis 14: 293-7, 1993.
  • LU YP, CHANG RL, LOU YR HUANG MT, NEWMARK HL, REUHL KR AND CONNEY AH: Effect of curcumin on 12-O-tetradecanoylphorbol-13-acetate and ultraviolet B light-induced expression of cJun and c-Fos in J136 cells and in mouse epidermis. Carcinogenesis 15: 2363-70, 1994.
  • MENON LG, KUTTAN R AND KUTTAN G: Inhibition of lung metastasis in mice induced by B16F10 melanona cells by polyphenolic compounds. Cancer Lett 95: 221-5, 1995.
  • PLUMMER SM, HILL KA, FESTING MF, STEWARD WP, GESCHER AJ AND SHARMA RA: Clinical development of leukocyte cyclooxygenase 2 activity as a systemic biomarker for cancer chemopreventive agents. Cancer Epidermiol Biomarkers Prev 10: 1295-9, 2001.
  • RAMACHANDRAN C, FONSECA HB, JHABVALA P, ESCALON EA AND MELNICK SJ: Curcumin inhibits telomerase activity through human telomerase reverse transcriptase in MCF-7 breast cancer cell line. Cancer Lett 184: 1-6, 2002.
  • RAO CV, RIVENSONA, SIMI B AND REDDY BS: Chemoprevention of colon carcinogenesis by dietary curcumin, a naturally occurring plant phenolic compound. Cancer Res 55: 259-66, 1995.
  • RAO CV, RIVENSONA, SIMI B AND REDDY BS: Chemoprevention of colon cancer by dietary curcumin. Ann N Y Acad Sci 768: 201-4, 1995.
  • RAVINDRANATH V AND CHANDRASEKHARA N: Absorption and tissue distribution of curcumin in rats. Toxicology 16: 259-65,1980.
  • RAVINDRANATH V AND CHANDRASEKHARA N: In vitro studies on the intestinal absorption of curcumin in rats. Toxicology 20: 251-7, 1981.
  • SHALINI VK AND SRINIVAS L: Fuel smoke condensate induced DNA damage in human lymphocytes and protection by turmeric (Curcuma Longa). Mol Cell Biochern 95: 21-30, 1990.
  • SHARMA RA, IRESON CR,
    VERSCHOYLE RD
    , HILL KA, WILLIAMS ML, LEURATTI C, MANSON MM, MARNETT LJ, STEWARD WP AND GESCHER A: Effects of dietary curcumin on glutathione S-transferase and malondialdehyde-DNA adducts in rat liver and colon mucosa: relationship with drug levels.
    Clin Cancer Res 7: 1452-8,2001.
  • SHARMA RA, MCLELLAND HR, HILL KA, IRESON CR, EUDEN SA, MANSON MM, PIRMOHAMED M, MARNETT LJ, GESCHER AJ AND STEWARD WP: Pharmacodynamic and pharmacokinetic study of oral Curcuma extract in patients with colorectal cancer. Clin Cancer Res 7: 1894-900, 2001.
  • SHOBA G, JOY D, JOSEPH T, MAJEED M, RAJENDRAN R AND SRINIVAS PS: Influence of piperine on the pharmacokinetics of curcumin in animals and human volunteers. Planta Med 64: 353-6, 1998.
  • SINDHWANI P, HAMPTON JA, BAIG MM, KECK R AND SELMAN SH: Curcumin prevents intravesical tumor implantation of the MBT-2 tumor cell line in OH mice. J Urol 166: 1498-501, 2001.











O que é Medicina Integrativa?



Estudos recentes reportam que entre 40-42% da população norte-americana tem feito uso de procedimentos alternativos e complementares em Medicina. Secundário a esses dados, o sistema médico convencional americano constatou que deve direcionar esforços para entender o que está acontecendo e também entender mais a respeito dessa chamada “Medicina Complementar e Alternativa” em termos de educação, pesquisas, segurança e regulamentação.

Mas por quê isto está acontecendo? Qual o motivo destes pacientes procurarem formas alternativas de medicina? Será que é pelo motivo de preferirem fitoterapia e acupuntura aos tradicionais fármacos? Será que estão frustrados com o sistema de saúde? Um estudo do Journal of the American Medical Association (JAMA) revelou que a maioria dos pacientes que escolhem estas alternativas, o fazem pois estas terapias estão mais “alinhadas” aos seus princípios, crenças e orientações filosóficas em busca de saúde e bem-estar.

O sistema convencional de saúde americano começou então a se perguntar quais os métodos alternativos seriam apropriados para o atual modelo. Mas, será esta a questão correta de ser perguntada? Usando a perspectiva do sistema convencional, seria bem provável que modalidades alternativas fossem avaliadas, subtraídas, modificadas e reinseridas e, ao fazer tudo isso, o verdadeiro valor dessas modalidades estaria perdido. O desafio em questão é: Criar um modelo de saúde ao invés de doença; um modelo onde os praticantes tenham tempo para ouvir seus pacientes; valorizar os aspectos nutricionais e mudanças no estilo de vida na saúde e na doença; oferecer tratamentos em adição a fármacos e cirurgias; entender o potencial de auto-cura e de “healing” que é inato do organismo humano. Este princípio parte da premissa de que a prevenção é uma das primeiras responsabilidades dos provedores da saúde e que, sempre que possível, tratamentos seguros, simples e de bom custo-benefício, e não apenas os complexos, caros e invasivos, devem ser oferecidos aos seus pacientes.

A prática da Medicina que reafirma o conceito da boa relação entre o praticante e o paciente vem sendo chamada Medicina Integrativa. Seu foco está no indivíduo como um todo e não apenas na doença, é baseada em evidências, faz uso de todo o arsenal terapêutico apropriado e multi-profissionais de saúde para alcançar os melhores resultados nesta relação. Ela combina o que há de melhor, estado-de-arte, da medicina convencional com terapias complementares cuidadosamente avaliadas e baseadas em evidência.

O conceito do tratamento se baseia na definição do “continuum”. De um lado temos a medicina preventiva, métodos diagnósticos, cirurgias e farmacoterapia. Estes serviços, então, extendem-se a terapias físicas, nutricionais, movimento e exercício, psicologia e a terapias complementares tais como acupuntura, fitoterapia e suplementos, terapias de redução de estresse e intervenções mente-corpo.

É aqui que surge o paradigma da Medicina Integrativa pois, ela é confundida como “Medicina Complementar” ou “Medicina Alternativa”, senso latum. Ela é muito mais pois, como dito acima, ela se utiliza de todos os bons recursos da Medicina Convencional associados a métodos terapêuticos complementares apropriados em benefício da saúde e do bem-estar do indivíduo incluindo aqui os apectos psicossociais e até mesmo a dimensão espiritual que pode ser relevante na vida daquele indivíduo. Ela leva pacientes e provedores de saúde a uma relação de parceria com objetivo de atingir um estado de equilíbrio.

Terapias complementares estão, cada vez mais, sendo incluídas nos tratamentos de doenças cardíacas, câncer e outras patologias graves e crônicas. Pesquisas e dados baseados em evidência estão em crescente nesta área dando o suporte necessário. Técnicas baseadas em tradições milenares incluindo acupuntura, yoga e meditação podem reduzir o estresse e ansiedade, produzindo impacto psico e fisiológico e melhorando qualidade de vida e dados clínicos destes pacientes.

O primeiro estudo reconhecido na uso da “Medicina Alternativa” nos Estados Unidos demonstrou que em 1990, aproximadamente 1/3 dos adultos norte-americanos usavam tratamentos chamados não-convencionais e que o grupo que mais fazia esse uso era o dos brancos, com ensino e renda elevados, entre os 25 e 49 anos de idade. Os gastos contabilizados apenas com os praticantes era de aproximadamente 11,7 bilhão de dólares, correspondendo a um terço do que era pago por seguradoras de saúde públicas ou privadas. Não apenas o número de visitas aos praticantes desta área eram maiores do que aos médicos de primeiros cuidados (primary care physicians), mas 72% das pessoas usando ambos recursos para tratar alguma patologia, não informavam ao seu médico. Outra indicação desse mercado crescente veio da indústria: em 1994, já havia 8.000 lojas específicas para alimentação saudável e mais de 1,5 bilhão de dólares foi gasto apenas em fitoterapia. Desde então, várias outras pesquisas e censos vem demonstrando este crescente no mercado americano.

Em 1995, a National Library of Medicine (NLM) expandiu suas “key words” e “journal listings” para incluir medicina alternativa. Como resultado, a NLM agora contêm mais de 60.000 citações em medicina alternativa e medicina integrativa. Estudos multicêntricos e meta-análises têm aparecido com mais freqüência nesta área. Em setembro de 1997, The Lancet publicou uma meta-análise em homeopatia. Em outubro do mesmo ano, foi publicado no JAMA um estudo multicêntrico a respeito do uso de Ginkgo Biloba em pacientes com Alzheimer.Em uma recente pesquisa entre médicos leitores do JAMA, medicina alternativa foi eleita como o 7º tópico mais importante em uma lista de 73 tópicos por publicação.

Mas, quem participa desse movimento integrativo? No começo de qualquer movimento sócio-cultural em que se está tentando mudar ou estabelecer conceitos (status quo), um pequeno número de pessoas dará os primeiros passos, podendo arriscar as próprias carreiras. Estes pioneiros são os primeiros a perguntar onde estamos e onde queremos chegar, aqueles que navegam por mares turbulentos tentando quebrar paradigmas. É preciso poder de inovação e coragem.

Em 8 de novembro de 2007, o Bravewell Collaborative, instituição filantrópica que apóia o nascimento e crescimento da Medicina Integrativa nos Estados Unidos, promoveu o Evento de Premiação aos Pioneiros da Medicina Integrativa, na cidade de New York. “O trabalho desses pioneiros nos anos 80 e 90 podem ser lembrados como os inaugurais de uma nova era da Medicina” disse o moderador Dr. Mehmet Oz (o do programa da Oprah). São eles: Dr. Larry Dossey, Dr. James Gordon, Dr. Jon Kabat-Zinn, Dr. Dean Ornish,Dra. Rachel Remen e Dr. Andrew Weil.

O Bravewell Collaborative nasceu em 2001 de uma união de filantropos com alguns desses pioneiros médicos com o objetivo de dar um novo rumo ao sistema de saúde que estava mostrando sinais de fraqueza. Em 2004 formou o Bravewell Clinical Network contando com 8 grandes centros de pesquisa envolvidos com o assunto. Esta rede vem crescendo e, hoje, já são quase 40 grandes e respeitados centros norte-americanos entre os quais podemos destacar as Universidades do Arizona, Duke, Harvard, Johns Hopkins, Mayo Clinic, entre outras, formando o Consortium of Academic Health Centers for Integrative Medicine.

A vida me proporcionou a possibilidade de conhecer grande parte desses centros e ter estudado em dois deles (Duke e Harvard). Gostaria que todos os nossos leitores soubessem da minha percepção sobre esse movimento: Essa é a Medicina do Futuro! Desde meu retorno ao Brasil em 1999 tenho me dedicado muito às práticas complementares e, hoje, represento a Associação Médica Brasileira de Ortomolecular, como presidente. A visão integrativa dentro da prática ortomolecular é fundamental e grande responsável pelo sucesso de nossas terapias. Nossos esforços vão de encontro a tornar essa ciência mais conhecida e acessível à população geral. Prevenir e promover a saúde, além de tratar as doenças na sua origem de uma forma mais natural é primordial para que nosso sucesso aconteça. Meu sonho é realmente enxergar uma maior integração entre os métodos convencionais e práticas complementares no futuro para uma saúde melhor.

O modelo americano conta com o Centro Nacional de Medicina Complementar e Alternativa (NCCAM) com um orçamento anual de mais de US$ 100 milhões para o desenvolvimento e regulamentação dessas terapias. Por quê não unir forças entre as associações médicas complementares e contar com a contribuição da sociedade brasileira para esse objetivo em nosso país? Com tantos excelentes profissionais na área clínica e pesquisa, temos uma grande oportunidade de elevar o Brasil a um status de líder nesse segmento. Ao menos, esse é um dos meu sonhos. Saúde à todos!

“Integrative medicine is the practice of medicine that affirms the importance of the relationship between practitioner and patient, focuses on the whole person, is informed by evidence, and makes use of all appropriate therapeutic approaches, healthcare professionals and disciplines to achieve optimal health and healing.”  Consortium of Academic Health Centers for Integrative Medicine




Quer uma Pele Bonita? Então, Corre Para a Cozinha !



Beleza não põe a mesa, mas está à mesa! Quem não quer ter uma pele bonita, saudável e bem cuidada? O sonho e desejo de 100% da mulherada e dos homens também. Mas para cuidar da pele não basta apenas passar creminhos ou fazer limpeza de pele é preciso se alimentar corretamente. Afinal, somos o que comemos. Então vamos ver os alimentos que sua pele precisa.

A pele reflete diretamente sua alimentação. Os nutrientes que estão presentes no corpo, vão nutrindo sua pele. Portanto, se a alimentação não é saudável, a pele não terá acesso a esses nutrientes que poderiam deixá-la muito mais bonita

Cada dia mais estudos surgem com novas descobertas de nutrientes e alimentos com propriedades poderosas a fim de melhorar a elasticidade, combater o envelhecimento e manter a pele sempre bonita. Ficar bem informada a respeito de tudo o que há de novo em matéria de nutrição vai acabar com muitas daquelas rugas que gostariam de aparecer sem serem convidadas.


(Clique para ampliar)


(Clique para ampliar)

 A
lém dos alimentos que foram listados  siga outras dicas valiosas:

- Aumente o consumo de fibras;

- Fracione suas refeições;

- Evite alimentos gordurosos e industrializados;
- Reduza ou elimine o açúcar;
- Beba muita, mas muita água;
- Pratique alguma atividade física que lhe dê prazer;
- Durma bem;
- Não fume;
- Evite bebidas alcoólicas;
- Não se exponha ao sol sem protetor solar.
- Consulte sempre um dermatologista.

Outros artigos da Liga da Saúde que podem complementar sua leitura: