Ecologia Médica




O que é Ecologia Médica

O termo "Ecologia Médica" foi usado a primeira vez pelo microbiologista René Dubos. Na década de 60 ele  já observava o impacto do meio ambiente e do progresso tecnológico na saúde humana.
A Ecologia médica NÃO É ESPECIALIDADE MÉDICA E NEM ÁREA DE ATUAÇÃO consiste em uma estratégia terapêutica utilizada por alguns médicos e tem como objetivos principais:
1) Restaurar o equilíbrio entre homem e a natureza;
2 ) Reconhecer e tratar as patologias ocasionadas pela perda desse equilíbrio.
Ou seja, objetivamos saúde para todos. Esta saúde deve ser interpretada como um bem-estar global (físico, mental e espiritual) e sustentável.  É sinônimo de Medicina Ambiental, Ecologia Celular, Medicina Ecológica.

A Ecologia médica é regida por 2 princípios:

Princípio da Unicidade: cada indivíduo é único no universo, tendo uma individualidade bioquímica (o que pode ser bom para um, pode ser veneno para outro);

Princípio da integralidade: não estamos desconectados do universo, vivemos em uma grande teia, na qual o que fazemos afeta todo um sistema, por mais simples que seja essa ação. Os diversos fatores fisiológicos que contribuem para o aparecimento das doenças estão interligados entre si. Ou seja, todos os seres estão integrados e o que o homem faz com o meio ambiente gera repercussões em todos os âmbitos da nossa vida.

Na medicina ambiental o foco é o ecossistema, ou seja, o paciente é visto dentro de uma abordagem holística. Nosso foco é o indivíduo e não apenas a doença que o indivíduo possui. Procuramos tratar a causa base das doenças, não só o sinal ou sintoma. Para isso utilizamos da propedêutica clássica utilizada pela medicina.

Os praticantes da ecologia médica afirmam que quando há uma perda do equilíbrio entre o homem e a natureza surgem inúmeras doenças e por isso a ecologia médica visa reintegrar o homem ao meio, de forma equilibrada. Sempre tendo em mente a ecossustentabilidade e a compreensão de que o homem não é isolado do ecossistema.

A nossa abordagem engloba conhecimento de diversas áreas:
Nutrição (em especial a nutrição funcional), Medicina (homeopatia, homotoxicologia, ortomolecular, medicina tradicional chinesa, ayurvédica, alopatia), Permacultura, Engenharia biossustensável, Biologia, Farmácia/bioquímica, Agronomia, Engenharia florestal, Engenharia ambiental, Fisioterapia, Odontologia, Psicologia.

Sempre na busca pela restauração do equilíbrio homem/meio ambiente. Alguns dos temas que abordamos são:
• As poluições (ar, água, solo, sonora, eletromagnética),
• Alergias: Alimentares, ambientais e respiratórias,
• Carência ou excesso de nutrientes,
• Intoxicação por metais pesados,
• Intoxicação por contaminantes ambientais (plástico (bisfenol-A), pesticidas, herbicidas, poluentes orgânicos),
• Manejo do estresse,
• Alternativas para mudança do estilo de vida.