segunda-feira, 23 de março de 2020

Nota da Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte e do Exercício


domingo, 22 de março de 2020

Nutrientes e sistema imunológico - vídeo educativo da ABRAN





domingo, 15 de março de 2020

COVID 19: Nutrologia baseada em evidências, prevenção e soroterapia



Com a declaração da Organização Mundial de Saúde (OMS) que o novo coronavírus ( doença Covid-19) tornou-se uma pandemia, “brotaram” na internet uma quantidade imensurável de fake news. E para piorar a situação, alguns profissionais da área da saúde começaram a propagar que aplicam em seus consultórios, soros endovenosos com finalidade de aumentar a imunidade. O que me deixa revoltado é saber quem há pessoas que gastam mais de 5 mil reais nessas aplicações, com a ilusão de que infusão de vitaminas, minerais e aminoácidos vão realmente potencializar a imunidade e protegê-las de uma possível infecção pelo novo Coronavírus. Nas redes sociais surgiram inúmeros falsos nutrólogos divulgando esse tipo de terapia. O que levou a Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN), Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral (BRASPEN) a emitirem pareceres sobre o tema.


Sendo assim, eu como médico Nutrólogo me vejo no dever de deixar claro para os meus pacientes, e para quem me acompanha no blog, site e redes sociais minha opinião sobre o tema. É revoltante ver colegas da área da saúde se aproveitando de um momento tão crítico como esse. Profissionais vendendo ilusões. Fico indignado por saber quem sempre existirá quem pagará para ser enganado. Assim como pagam por prescrições de Anabolizantes, dieta hCG, uso de hormônios sem necessidade, exames sem validação científica.




Meus posicionamentos:

1) NÃO existe soro endovenoso para imunidade. Vários nutrientes podem ter ação sobre o sistema imunológico: Zinco, Vitamina C, Vitamina D, Vitamina A, Vitamina E, Selênio, Cobre, Ácido fólico, Fibras, Aminoácidos, Carboidratos e Ácidos graxos. Mas devem ser utilizados pela alimentação. E se de acordo com os exames laboratoriais (existir deficiência) ou baseado no inquérito alimentar o Nutrólogo/Nutricionista detectar que a ingestão de determinado nutriente está baixa, aí sim, postula-se a suplementação.
Exemplo: vegetarianos com baixo consumo de Ferro, B12, Zinco e ômega 3. Ou pacientes submetidos a cirurgia bariátrica.
2) NÃO existe na Nutrologia essa prática de Soros aplicados em consultório: exceto infusão de micronutrientes específicos em situações especiais como déficit de Ferro, déficit de B12, Hiperemese gravídica, Pacientes pós-bariátricos refratários ao tratamento via oral, Pacientes com Síndrome do Intestino Curto ou qualquer outra situação na qual o trato digestivo não pode ser utilizado ou não está "funcionante". Ou seja, são situações muito específicas.

Recomendações baseada em evidências, para a prevenção da infecção pelo Novo Coronavírus:
1) Ingerir pelo menos 30ml/kg/dia de água.
2) Manter uma dieta adequada, balanceada, com o mínimo de alimentos ultraprocessados. Evitar dietas restritivas ou ingestão alimentar excessiva. 
3) Ter pelo menos 7 a 8 horas de sono por noite.
4) Lavar bem as mãos, várias vezes ao dia.
5) Usar álcool gel quando a lavagem de mãos não for possível.
6) Passar álcool 70 nas superfícies em que várias pessoas entram em contato.
7) Evitar contato físico com terceiros e se o fizer, utilizar álcool gel.
8) Evitar aglomerações ou reuniões. Se tiver como trabalhar via home office é recomendado. Reuniões via internet também auxiliam. Isolamento social temporário é uma medida eficaz para evitar a propagação do vírus.
9) Quando espirrar ou tossir coloque a mão ou o braço. Se apresentar qualquer tipo de sintoma respiratório inicie o uso de máscara cirúrgica e procure uma unidade de saúde.
10) Se você cuida/convive com idosos, utilize máscara e redobre os cuidados.
11) Não faça jejuns ou dietas restritivas, pois podem interferir na resposta imune. Assim como atividade física extenuante.

Dr. Frederico Lobo
Médico Nutrólogo
CRM-GO 13192 RQE 11915

quinta-feira, 12 de março de 2020

Alzheimer: diretrizes para prevenção, aspectos nutricionais



Foram publicados os resultados de um relatório global sobre a doença de Alzheimer

De acordo com um estudo global publicado hoje, poderia ser feito mais para prevenir a doença de Alzheimer.

Alzheimer's Disease International, a federação mundial das associações de Alzheimer, encomendou o 'Relatório Mundial Alzheimer 2014 - Redução do risco e demência: Uma análise dos fatores protetores e modificáveis'.

Publicado hoje (17 de setembro), ele revela que controlar o diabetes e a pressão arterial elevada pode reduzir o risco de demência no futuro. Parar de fumar e reduzir os fatores de risco cardiovascular também ajuda a reduzir o risco de desenvolver doença de Alzheimer.

O diabetes sozinho aumenta o risco de demência em 50%, relatam os autores, liderados pelo Professor Martin Prince do King's College London, Reino Unido.

Ele diz: "Já há evidências de vários estudos quanto a que a incidência de demência está diminuindo em países de alta renda, associados a melhorias na educação e na saúde cardiovascular. Precisamos fazer tudo o que pudermos para acentuar essas tendências. Com um custo global de mais de 600 bilhões dólares americanos, dificilmente poderia ser mais importante o que está envolvido."

O relatório afirma que o controle do tabaco e a melhor prevenção, detecção e controle da hipertensão e do diabetes são fundamentais para reduzir o risco de demência em nível da população. De maneira que a demência deve ser "integrada nos programas de saúde pública tanto globais como nacionais, ao lado de outras importantes doenças não transmissíveis".

Marc Wortmann, da Alzheimer's Disease International, comentou: "De uma perspectiva de saúde pública, é importante notar que a maioria dos fatores de risco para a demência se sobrepõem com os de outras importantes doenças não transmissíveis. Em países de alta renda, há um maior foco nos estilos de vida mais saudáveis, mas este não é sempre o caso com os países de baixa e média renda

"Estima-se que em 2050, 71% das pessoas com demência estarão vivendo nestas regiões, então implementar campanhas eficazes de saúde pública pode ajudar a reduzir o risco global."

Fonte: www.doctors.net.uk

Todo dia 21 é um dia especial rs. Hj é dia da Árvore, Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência e Dia Mundial de Conscientização sobre a Doença de Alzheimer. Estima-se que em todo o mundo, existam mais de 35 milhões de pessoas com Alzheimer e q esse nº provavelmente ultrapassará 80 milhões até 2040.

A Diretriz publicado pela George Washington University School of Medicine e pelo Physicians Committee for Responsible Medicine (PCRM) defende a diminuição do risco de se desenvolver Doença de Alzheimer pela alimentação nutrologicamente equilibrada. “Combinar alimentação com atividade física, evitando o consumo exagerado de metais como cobre e ferro pode maximizar a proteção do cérebro”, afirma Dr Barnard, um dos autores desta diretriz.

A diretriz pode ser dividida em 7 pilares:

1- Evitar ao máximo gordura trás e gordura saturada

2- A base da dieta deve ser constituída de vegetais, legumes ( feijão, ervilha, lentilha), frutas e grãos integrais.

3- Vitamina E diária – fornecida por nozes, castanhas ou sementes.

4- Vitamina B 12 diária (2,4μg por dia para adultos).

5- Evite polivitamínicos que contenham ferro e Cobre. Faça reposição destes micronutrientes somente com orientação Medica.

6- Evite tigelas e outros utensílios que possuam alumínio na sua composição.

7- Atividade Física aos menos 120 minutos por semana.


Fonte: http://www.pcrm.org/health/reports/dietary-guidelines-for-alzheimers-prevention