quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Efeito anticâncer do brócolis pode ser ampliado


Um estudo realizado na Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, mostrou pela primeira vez que o sulforafano, o poderoso agente contra o câncer presente no brócolis, é liberado do seu composto original por bactérias que vivem no intestino grosso, sendo então absorvido pelo organismo.

"Esta descoberta abre a possibilidade de sermos capazes de aumentar a atividade dessas bactérias no cólon, aumentando o poder que o brócolis tem na prevenção do câncer," disse Elizabeth Jeffery, uma das autoras da pesquisa.

"Também é reconfortante, porque muitas pessoas cozinham demais o brócolis, destruindo sem querer a enzima vegetal que nos fornece o sulforafano. Nós agora sabemos que a microbiota do nosso trato digestivo pode salvar uma parte desse importante agente de prevenção do câncer mesmo que isso aconteça," disse ela.

Além do sulforafano, o brócolis tem grande valor nutricional por ser uma das principais fontes de cálcio do reino vegetal, e o melhor, com biodisponibilidade razoável.

Glucorafanina e sulforafano

Embora os cientistas tenham teorizado há muito tempo que a microbiota intestinal poderia executar esse papel, o processo nunca havia sido verificado diretamente e não se sabia quais seriam os agentes de sua realização. Agora, Jeffery e seus colegas Michael Miller e Ren-Hau Lai comprovaram a teoria.

Eles injetaram glucorafanina, o composto pai do sulforafano, no intestino inferior de ratos e demonstraram que o sulforafano estava presente no sangue da veia mesentérica, que flui do intestino para o fígado.

"A presença do sulforafano em quantidades mensuráveis mostra que ele está sendo convertido na parte inferior do intestino e está disponível para absorção no organismo," explica Jeffery.

O ceco, a parte inferior do intestino dos ratos nos quais os cientistas inocularam a glucorafanina, abriga bactérias que ajudam na digestão e no metabolismo, de forma semelhante ao que acontece no cólon humano.

Anticâncer e anti-inflamatório

De acordo com Jeffery, o sulforafano é um agente extremamente potente contra o câncer: "A quantidade que você obtém em 3 a 5 porções por semana, que é menos do que um ramo diário de brócolis, é o suficiente para ter um efeito anticâncer. Com muitos dos outros alimentos bioativos dos quais você ouve falar, são necessárias quantidades muito maiores para se ter um resultado mensurável."

O sulforafano também tem propriedades anti-inflamatórias, que são vistas com interesse pelos cientistas por sua capacidade de combater os efeitos de muitas doenças crônicas que acompanham a obesidade e o envelhecimento.Miller sugere duas formas pelas quais as bactérias no intestino poderiam ser manipuladas para se obter um poder extra do brócolis ingerido.

"Uma forma seria a de alimentar as bactérias desejáveis com probióticos para incentivar sua proliferação. Outra forma seria a utilização de uma abordagem combinada, por exemplo, brócolis com molho de iogurte, que contém as bactérias hidrolisadoras, dessa forma aumentando a sua proteção contra o câncer," explica a cientista.

Cuide das suas bactérias

Se alimentar bactérias não soa particularmente atraente, a cientista destaca que as bactérias não trazem sempre más notícias. "Uma das coisas sobre o que não pensamos muito é a enorme quantidade de benefícios que experimentamos quando uma comunidade saudável de bactérias coloniza nosso intestino grosso. Nós, seres humanos, temos uma relação simbiótica com inúmeros micróbios famintos, que metabolizam vitaminas e outros componentes bioativos dos alimentos. Agora podemos ver outro exemplo interessante da sua atividade, com o papel que desempenham na captura do sulforafano do brócolis," conclui ela.

A questão da flora bacteriana intestinal me fez recordar um dos primeiros livros que li do Dr. Hélion Póvoa ( um dos pioneiros da ortomolecular), denominado: O cérebro desconhecido. Já falei dele aqui no blog, volto a orientar a todos que se interessam pelo tema, que leiam. É um livro relativamente pequeno, de leitura fácil (voltado para leigos) e agradável. Ele esclarece os principais motivos dos médicos que atuam em ortomolecular se preocuparem tanto com o intestino.

O Intestino é o nosso segundo cérebro. Tem a mesma origem embriológica. A cida dia a cidência desvenda novas funções do intestino. Centenas de  substâncias são produzidas nele sendo que tais substâncias possuem ação neuro-hormonal, neuro-imune. Sendo assim, não seria se de estranhar que os habitantes do intestino (flora bacteriana) tem papel crucial no nosso organismo: produção de vitaminas, defesa, estímulo imunológico, síntese de substâncias.

Portanto, cuide bem do seu intestino, coma brócolis, mas não cozinhe-o por muito tempo!

http://www.aces.uiuc.edu/news/stories/news5450.html

0 comentários:

Postar um comentário

Propagandas (de qualquer tipo de produto) e mensagens ofensivas não serão aceitas pela moderação do blog.