quinta-feira, 26 de agosto de 2010

O que é terapia ortomolecular?

O texto abaixo já tem um tempo, mas decidi reescrevê-lo, pois a cada ano muda um pouco minha visão sobre a prática ortomolecular. O texto é de minha autoria e do Dr. Edison Saraiva de Brasília.

"Doutor, o que é Medicina Ortomolecular ?" É uma pergunta que ouço sempre no meu dia-a-dia. Há diversas maneiras de respondê-la. Eis algumas:

Tão desconhecida quanto mal falada, a tal "Orto" é tratada por alguns colegas com um ar maroto de superioridade, charlatanismo, modismo, não-científica. São críticas desferidas, já que na verdade a resposta sincera deveria ser: "Não conheço“ ou “Conheço e não aprovo”. Outros já apresentam, quando em vez, uma curiosidade não assumida, empurrada ladeira acima pela ansiedade dos pacientes que querem vias alternativas à "milagrosa drogaria" moderna.

Uma boa resposta no bate pronto é a desconcertante - "Olha, não existe medicina ortomolecular, aliás, não existe medicina alopática, não existe medicina homeopática, não existe..., etc. Existe MEDICINA. Um grande guarda-chuva que abriga diferentes terapêuticas (aí sim) alopática, homeopática e vá lá, ortomolecular.”

Ao contrário do que alguns médicos que praticam a ortomolecular afirmam por aí, a ortomolecular perante o Conselho Federal de Medicina (CFM) NÃO É uma especialidade médica. Ela tem o reconhecimento (regulamentação) do CFM como estratégia ou abordagem, conforme a resolução 1938/2010. Mas nenhum médico pode se intitular especialista em Medicina ortomolecular pois a mesma não é especialidade. Assim como não existe a especialidade Medicina estética, Ecologia médica ou Medicina ecológica.

Outra resposta possível é "A Orto, em termos simples, é uma abordagem nutricional e higiênica para tempos modernos".

Voltando ao histórico da terapia ortomolecular, o termo “Ortomolecular” foi cunhado por Linus Pauling (Prêmio Nobel de Química em 1954 e da Paz em 1962), conhecido mundialmente por seus trabalhos e pela ênfase com que recomenda o uso diário de vitaminas (principalmente a vitamina C) e minerais. O mesmo  pensou no ser humano saudável como um "caldo"completo e complexo de moléculas. Assim, onde houvesse falta ou excesso ali estaria a base para o surgimento de doenças. Boa visão para um químico, soma das partes no fundo. Entretanto – na minha percepção, o prefixo Ortho (que em grego significa certo, correto) é um retorno a uma "velha nova" maneira de abordar o binômio doença/saúde.

No Brasil temos três pioneiros na medicina ortomolecular. Os dois primeiros são pesquisadores renomados e que contribuíram para a popularização da Ortomolecular.
  • Prof. Dr. Hélion Póvoa  é um dos maiores especialistas na área de nutrição e bioquímica do país. Foi ex-aluno de Linus Pauling e trouxe para o Brasil a ortomolecular. Membro titular da Academia Nacional de Medicina, pesquisador da Fiocruz e professor-visitante de Nutrição em Harvard. Tem mais de 400 trabalhos de pesquisa publicados no Brasil e no exterior. Inúmeros livros sobre ortomolecular.
  • Prof. Dr. José de Felippe Jr é também um dos  pioneiros da ortomolecular (ou como o próprio denomima: Medicina Biomolecular) no Brasil. Fomou-se pela Santa Casa de São Paulo, tem doutorado em Fisiologia pela Universidade de São Paulo,  PhD em Ciências , livre docente de Clínica Médica e Medicina Intensiva pela Universidade do Rio de Janeiro, fundador e Primeiro Secretário Geral da Associação de Medicina Intensiva Brasileira ( AMIB).
  • Prof. Dr. Efrain Olszewer é também um dos pioneiros da ortomolecular em nosso país. Médico, especialista em clínica médica e em cardiologia. 
A ortomolecular atua basicamente de 3 modos:

1) Modo PREVENTIVO: através de diagnósticos cada vez mais precoces, detectando alterações metabólicas subclínicas, antes do surgimento de doenças, utilizando-se do tratamento Ortomolecular que visa o equilíbrio global do indivíduo, dando-lhe condições de manter-se sadio ou, diante de doenças, obter melhor resposta a terapêutica específica empregada. Os exames por nós utilizados incluem: exames laboratoriais, mineralograma capilar.

2) Modo SISTÊMICO: atua na avaliação diagnóstica de todos órgãos e sistemas, analisando a inter-relação e interdependência entre eles e nos tratamentos nutricionais celulares, através de suplementação com nutrientes indispensáveis ao organismo ou retirando substâncias em excesso ou tóxicas, como metais pesados.

3) Modo INTERATIVO: atua na inter-relação dos sistemas humanos com os sistemas ambientais, visto que estamos dentro de uma grande teia e os sistemas interagem: homem/natureza; homem/animais, homem/alterações climáticas, homem/poluições.

O exercício da ortomolecular não é uma tarefa fácil, pois, o desafio é descobrir quais os nutrientes que estão em déficit, excesso e ainda verificar os elementos tóxicos no organismo do indivíduo.  Muitas das vezes, a correção dos desvios encontrados é o suficiente para proporcionar o equilíbrio metabólico e energético necessário para o indivíduo retornar ao estado de saúde. Procuramos também controlar os fenômenos inflamatórios, oxidativos, glicantes no organismo.

A “orto” em sua essência, visa a prevenção através da adoção de medidas nutricionais e higiênicas e isso inclui:

1) Higiene do sono:
2) Higiene dos alimentos e do ecossistema:
2.1  Combate as parasitoses intestinais (detecção e tratamento) além  reeducação para não se recontaminar;
2.2 Em defesa da agricultura orgânica e modos sustentáveis de vida;
2.3 Combate e esclarecimento da população sobre os riscos da poluição da água, ar, solo, poluição sonora, eletromagnética;
3) Higiene corporal:
3.1 Evidenciando os malefícios do sedentarismo e das atividades físicas extenuantes;
3.2 Elucidando a importância da manutenção de uma respiração correta;
3.3 Salientando quais hábitos de vida são nocivos para a nossa saúde e suas possíveis repercussões em todo o nosso organismo;
4) Combate aos vícios (álcool, tabagismo, drogas):
5) Abordagem nutricional no combate à formação excessiva de radicais livres:
5.1 Prevenção e tratamento de doenças através da utilização de substâncias terapêuticas, esse grupo é composto por minerais, aminoácidos, vitaminas, ácidos graxos, fitoterápicos.
5.2 Busca pela correção molecular, suplementando quando necessário e retirando os excessos;
5.3 Elucidando a necessidade de uma dieta inteligente, saudável, adequada e equilibrada, a fim de que o organismo possa obter a grande maioria dos nutrientes unicamente pela alimentação;
5.4 Objetivando esclarecer ao paciente a importância da manutenção de um sistema digestivo íntegro, saudável (saúde digestiva)
6) Abordagem ecológica
6.1 Visa evidenciar a necessidade de manutenção do equilíbrio entre o homem e o meio em que vive (natureza), defendendo a teoria de que quando há uma ruptura entre esse equilíbrio surgem inúmeras patologias.

Mas afinal, o que a ortomolecular trata? Todas as patologias que tem como causa base um processo inflamatório decorrente do aumento da produção de radicais livres ou diminuição da capacidade antioxidante.

Com relação à ortomolecular e convênios (planos de saúde), dificilmente você encontrará um praticante das estratégias ortomoleculares que atende planos de saúde. O motivo é bem simples, uma consulta bem-feita englobando uma avaliação minuciosa, exame físico, formulação de hipóteses diagnósticas, solicitação de exames e orientações, dificilmente durará menos de 1 hora.


Autor:
Dr. Frederico Lobo (Médico - CRM-GO 13192)

9 comentários:

Anônimo disse...

Excelente texto eu fiz esse tratamento no período em que enfrentei o câncer de mama e me ajudou muito hoje continuo buscando novos conhecimentos na área desse tratamento que para mim foi de grande valor na minha saúde! !!

Unknown disse...

Ótimo texto muito esclarecedor. Faço tratamento para insônia com neuro e psiquiatra e quando tento fazer com que eles façam um tratamento global, com menos remédios, pelo ao menos me escutem, torcem o nariz. Todas as consultas duram menos de 5 min, é só o tempo de eu me sentar e eles aumentarem as doses dos remédios. #muito decepcionada com a medicina tradicional.

Estela Mamede disse...

Achei suas colocações bem pertinentes doutor. Há mais de 20 anos eu e minha família nos tratamos com um médico ortomolecular aqui em Brasília e raramente padecemos de doenças. Siga firme no seu propósito de curar os outros

Anônimo disse...

Muito bom esse texto. Parabéns.

Jaime Estevão disse...

Carissimo doutor Frederico, há alguns anos procurava um ortomolecular em Goiânia. É uma pena que essa medicina não tenha cobertura pelos planos de saúde pois o tratamento fica inviavel para a maioria das pessoas.

Anônimo disse...

Acho que ortomolecular deveria ter no sus e pelos planos de saúde, já que os médicos de ortomolecular atende as pessoas muito melhor e fazem tratamentos para curar a doença e nao para remediar.

Unknown disse...

Médico fenomenal. Indico de olhos fechados

Gabriel disse...

Olá Estela. Pode me dizer quem é seu médico aqui em Brasília? Procuro por um!

Unknown disse...

Quero ser atendida por um ortomolecular, n DF, cidade satélite de Taguatinga.

Postar um comentário

Propagandas (de qualquer tipo de produto) e mensagens ofensivas não serão aceitas pela moderação do blog.